Erros mais comuns na gestão financeira de uma startup

Erros mais comuns na gestão financeira de uma startup

Assessoramos muitas startups e empresas de pequeno porte. Procuram-nos empreendedores de quase todos os segmentos, como: saúde, fintech, educação, aplicativos, para listar alguns, e suas dúvidas sobre gestão financeira em startup são parecidas, no que podemos identificar que seus erros iniciais também.

A maioria dos empresários quando começa suas companhias fazem por motivos de conhecimento de mercado misturado com entusiasmo incrível sobre a possibilidade de empreender. A vontade para iniciar a operação e a crença em seus conhecimentos fazem com que não se tome cuidados básicos, como fazer uma boa projeção de fluxo de caixa ou analisar a concorrência, com seus preços e diferenciais de produtos e serviços.

Quando a startup começa sua operação, erros de marketing, com foco errado em público alvo ou veículo de mídia que receberá o investimento, são comuns. Vemos que investimentos elevados em marketing quando a empresa não está preparada para entregar grande quantidade de seus produtos ou serviços também costumam drenar recursos financeiros e manchar a marca da empresa.

Outro ponto importante é o controle do caixa no período inicial da empresa. Muitas vezes, startups passam longos períodos até se estabelecerem no mercado e terem faturamento suficiente para gerar resultados positivos. Assim, despesas elevadas que não trarão rentabilidade ou muitos investimentos em ativos não operacionais são erros que poderão custar a continuidade da empresa pelos anos.

Dimensionamento de equipe e sua motivação definirão como a startup se desenvolverá. Equipes pequenas, mesmo que motivadas, poderão não entregar o necessário para transformar a ideia em operação rentável. Equipes grandes, com ociosidade, farão com que haja desmotivação e custos elevados, reduzindo o potencial de geração de resultados futuros. Definição de metas por departamento e número de funcionários adequado são importantes para aumentarem as chances de sucesso.

Assim, como pontos importantes aos empreendedores que nos procuram para assessoria, seja de business plan, de consultoria empresarial, ou captação de recursos com fundos, temos:

  1. Elabore um business plan completo – invista tempo em análises de mercado, concorrência, precificação, seus diferenciais e faça um modelo financeiro robusto de sua operação. Com estas ferramentas, as chances de erros serão reduzidas e seus desafios ficarão mais claros para serem enfrentados.
  2. Foco em marketing com rentabilidade – defina bem seu público alvo e sua capacidade de produção no business plan. Veja quanto cada exposição, seja de marca ou de produtos através de campanhas de marketing, trará de retorno e como a empresa está se desenvolvendo em cada situação. Verifique continuamente os níveis de investimento e retorno para que não haja desperdícios de recursos com sobre-exposição de sua marca.
  3. Controle o caixa – em startups, como em qualquer empresa, o caixa da empresa é concorrido para muitas despesas e investimentos. O controle de caixa, com prazos de pagamentos sempre alongados e manutenção de estrutura enxuta e necessária, é importante para não expor a empresa a dívidas ou até mesmo a interrupção de suas atividades. Já vimos projetos incríveis de startups serem abortados por falta de caixa após meses do início da operação.
  4. Acompanhamento contínuo de equipe – manutenção de equipe motivada e com a dimensão correta em todos os departamentos, de vendas ao administrativo, é fundamental para o controle de custos da empresa. Além disto, equipes menores que a ideal não entregarão no tempo correto ou com a qualidade necessária, assim como equipes grandes consumirão mais recursos que os necessários e não serão tão motivadas.
  5. Metas e objetivos claros por etapas – todos na empresa deverão ter metas claras, principalmente em startups, onde prazos e recursos são escassos e tarefas e desafios são abundantes.

Vemos que os empresários com maior chance de sucesso são os que investiram mais tempo na preparação da empresa e conhecimento de seu mercado. Erros operacionais e na gestão financeira podem ser evitados com os pontos descritos acima, aumentando as chances da startup virar a empresa que seus fundadores sonham.


Autor: Eduardo Peres      Gestão financeira em Startup

Diretor de Novos Negócios da GlobalTrevo Consulting

Economista, formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Mestre em Economia pelo IBMEC Rio de Janeiro. Eduardo é sócio-executivo da GlobalTrevo Consulting, responsável pela área comercial e pela execução de projetos. É responsável, também, pelo atendimento às filiais do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte.

Foi responsável pela fundação da GlobalTrevo Consulting em 2008, definindo seu foco no mercado de finanças corporativas e de estratégia: avaliação de empresas, business plan, pesquisa de mercado, reestruturação empresarial, captação de recursos em bancos de fomento e M&A.

Antes de fundar a GlobalTrevo Consulting, trabalhou no grupo de Relações com Investidores da Medial Saúde, na área de desenvolvimento de novos negócios do Grupo Abril e da Globex S.A. (Ponto Frio) e, antes, como auditor na PricewaterhouseCoopers. Durante este período, desenvolveu larga experiência em elaboração de planos de negócios, avaliação de empresas e em negociações de fusões e aquisições.